Tosse na criança

Última revisão deste tema: 26/12/2015

Partilhe nas redes sociais:

 

 

 

 

O que é a tosse?

A tosse constitui uma das manifestações clínicas do aparelho respiratório mais frequentes em idade pediátrica. É um mecanismo de defesa, pois permite eliminar secreções, sangue, pus ou material estranho aspirado, para além de ser uma resposta à inflamação causada por agentes infecciosos e/ou alérgicos. Na maioria das vezes consiste numa resposta reflexa, isto é, ocorre automaticamente, sem a pessoa pensar.

       

Apesar de poder ser bastante incómoda para pais e filhos, na maioria das vezes a tosse é um sintoma de uma situação benigna e autolimitada, sem necessidade do uso de medicamentos ("xaropes para a tosse") que se podem associar a efeitos adversos e outros perigos.

           

 

O que pode provocar tosse?

Muitos fatores podem provocar tosse numa criança:

- Infeção de qualquer ponto da árvore respiratória (nariz, seios perinasais, amígdalas, adenóides, faringe, laringe, traqueia, pulmão), incluindo o vulgar "resfriado"

- asma e doenças alérgicas

- doenças respiratórias

- presença de corpos estranhos

- aspiração de fumo ou vapores

- refluxo gastroesofágico, entre outros.

           

Pode também ter uma causa psicológica. Neste caso, o mecanismo é voluntário, não é reflexo, e tipicamente a criança ou o adolescente só tosse quando está acordado.

 

 

O que pode ser considerado como normal? 

Estudos objetivos, com gravação de som, sugerem que uma criança normal (sem sintomas de infeção do trato respiratório superior) tem, em média, 11 episódios de tosse por dia, existindo algumas com mais de 30 episódios por dia.

           

A frequência da tosse e a sua severidade aumentam com o aparecimento de uma infeção do trato respiratório superior e algumas crianças têm infeções respiratórias de repetição (8-10 episódios por ano, sobretudo no Inverno) estando cada nova infeção associada com tosse que pode durar mais de 7 dias. Como tal é dificil e requer experiência ter a certeza quando é que a tosse é normal numa criança.

 

 

A tosse é perigosa nas crianças?        

A maioria das situações que condicionam tosse na criança são benignas e autolimitadas. O mecanismo produz-se por estimulação de recetores que existem ao longo do aparelho respiratório. Estes recetores praticamente não existem no pulmão, pelo que por exemplo a pneumonia (infeção do pulmão) habitualmente cursa com pouca ou nenhuma tosse.

 

 

 

 

INTERVENÇÕES SEM EVIDÊNCIA CIENTÍFICA - Devem ser utilizados xaropes para a tosse?

 

O único tratamento realmente adequado e eficaz para a tosse é o tratamento da sua causa.

A oferta de medicação de venda livre nas farmácias, nomeadamente xaropes para a tosse, é numerosa, dispendiosa e variada, mas poucos são os pais que sabem que a eficácia desses medicamentos não é comprovada e que, por vezes, são até mesmo desaconselhados.

           

Raramente é aconselhável tomar 'um xarope para a tosse'. O melhor 'remédio' da tosse consiste na hidratação das secreções, que se consegue fundamentalmente pela ingestão abundante de água. Existem dois grandes grupos de "xaropes para a tosse":

 

- Os antitússicos, que atuam inibindo o reflexo da tosse. Quando uma criança toma um xarope destes, perde a capacidade de tossir, isto é, perde um mecanismo de defesa. Como consequência, mais facilmente será infetada pois não consegue remover tão eficazmente os micro-organismos, as secreções e os restos celulares que se encontram nas vias aéreas. Estes medicamentos apenas devem ser utilizados nas situações em que não é possível tratar a causa da tosse, quando esta é irritativa (seca e sem expetoração) e perturba muito a criança (interferindo, por exemplo, significativamente com o sono). Os antitússicos devem ser usados apenas por períodos curtos (menos de uma semana) em casos muito especiais e somente após avaliação médica e por indicação deste.

 

- Os expectorantes, que atuam aumentando o volume das secreções. São medicamentos ineficazes na maioria dos casos. As crianças, particularmente aquelas com idade inferior a 1-2 anos, não conseguem eliminar bem as secreções pelo que estas tendem a acumular e consequentemente a agravar a tosse.

       

Estes dois tipos de medicamentos também não devem ser utilizados em associação, uma vez que os expetorantes facilitam a eliminação das secreções, enquanto que os antitússicos impedem a sua expulsão.      

         

Outro grupo de medicamentos habitualmente utilizados no tratamento da tosse são os anti-histamínicos, apesar de não exisitir evidência suficiente que comprove a sua eficácia, na maioria das situações.

 

 

Como posso ajudar a minha criança com tosse?             

Se a tosse não é atribuída a nenhuma doença específica como asma, pneumonia, sinusite, rinite alérgica, entre outras, mas é devida a uma infeção das vias aéreas superiores sem tratamento curativo específico, existem algumas medidas que os pais podem adoptar para minimizar o desconforto:

 

- Hidratar bem a criança: incentive o seu filho a beber água.

- Fazer "vaporizações" (inalação de ar vaporizado quente): por exemplo, sentar a criança no wc enquanto água quente escorre na banheira.

- Manter a criança afastada de locais com fumo: não se esqueça que o fumo passivo é uma causa comum de tosse.

- Não automedique a sua criança, especialmente antes dos 6 anos, pois poderá estar a prejudicá-la.

 

 

 

Quando ir ao médico?

Perante uma criança com tosse, deve ir ao médico quando apresenta pelo menos uma destas características (sinais de alerta na tosse):

 

Bebé até 3 meses de idade

- Sinais de dificuldade respiratória, respiração ruidosa ou se está a respirar muito rápido

- Tem tosse depois de engasgamento com alimento ou objeto (mesmo que tenha sido há dias ou semanas atrás)

- Tosse com sangue ou muco esverdeado

- Se recusa a beber por um período prolongado

- Se tem febre e não está a agir normalmente

- Se tosse com tanta violência que vomita, especialmente em crianças mais crescidas (em bebés até cerca de 1 ano é normal acontecer um ou outro episódio de vómito perante um ataque de tosse)

- Se a tosse dura há 2 semanas ou mais

 

 

REFERÊNCIAS

1. Chang AB, et al. Cough in children: definitions and clinical evaluation. Position statement of the Thoracic Society of Australia and New Zealand. MJA 2006; 184(8):398-403.

2. Victor Chernick, et al. In: Kendig's Disorders of respiratory tract in children. 7th ed. Saunders 2006. 86-7.

3. Chang AB, Peake J, McElrea MS. Anti-histamines for prolonged non-specific cough in children. Cochrane Database Syst Rev 2006; 3:CD005604.

4. Schroeder K, Fahey T. Over the counter medications for acute cough in children and adults in ambulatory settings. Cochrane Database Syst Rev 2004; (4): CD001831.

5. Munyard P, Bush A. How much coughing is normal? Arch Dis Child 1996;74:531– 4.

6. Shann F. How often do children cough? Lancet 1996;348:699–700.

7. Bush A, Price JP. Childhood asthma syndromes. In: Gibson GJ, Geddes DM, Costabel U, et al, eds. Respiratory medicine. 3rd ed. Philadelphia: Saunders, 2003:1396–420.

8. Bush A. Pediatric problems of cough. Pulm Pharmacol Ther 2002;15:309–15.

9. Martins S, Moura MC, Trindade JC. Tosse em Pediatria. Rev Port Pneumol 2008; XIV (4): 517-531

10. Patient information: Cough in children. Sistema Uptodate. Acedido em 26/12/2015.