Doenças exantemáticas infantis

Última revisão deste tema: 10/12/2014

Partile nas redes sociais:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um exantema é uma erupção cutânea. Na infância existem várias doenças exantemáticas, no fundo, doenças que se manifestam através de exantemas. A maioria delas tem uma origem infeciosa. Temos as víricas como o sarampo, a rubéola (estas duas raras em Portugal após a introdução das vacinas no PNV), a varicela, o exantema súbito, o eritema infecioso e as enteroviroses como a doença mãos-pés-boca. Depois temos algumas causadas por bactérias como a conhecida "febre da carraça" (febre escaro-nodular) e a escarlatina. E, por fim, outras de causa desconhecida como a doença de Kawasaki

 

Para além do tipo de agente, existem outras classificações clínicas. Uma das mais conhecidas agrupa as que atingem a palmas e as plantas e as que não atingem. Dentro do primeiro grupo podem-se incluir um grupo reduzido de doenças: enteroviroses (como a doença mãos-pés-boca), a febre escaronodular, a doença de Kawasaki, o sarampo, a rubéola, a sífilis secundária, sépsis a meningococo, os exantemas induzidos por fármacos e o eritema multiforme.

 

O diagnóstico na maioria das vezes é clínico e constitui um desafio ao médico. Por vezes, a apresentação clínica de uma doença exantemática tem características com semelhanças a outras doenças exantemáticas, sendo importante colher uma boa história clínica e estar atento aos detalhes da evolução da doença - não apenas o tipo de exantema, mas também como surgiu, como evoluiu, os sintomas acompanhantes e o estado geral da criança.

 

Não se esqueçam que este artigo, embora possa ser útil para o esclarecimento de dúvidas, não substitui a avaliação clínica feita pelo médico assistente da criança! Na maioria das situações, tratam-se de doenças benignas e, felizmente, poucas vezes é necessário mais que o tratamento de suporte convencional. De seguida os quadros com características-chave de cada uma das principais doenças exantemáticas. A varicela tem uma descrição mais pormenorizada aqui

 

 

 

 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 

REFERÊNCIAS:

1. http://emedicine.medscape.com

2. Sistema Uptodate

3. Sociedade Portuguesa de Pediatria. Febre Escaro Nodular. Acta Pediatr Port 2005; Vol. 36; Nº 5: 257-263